top of page
  • Foto do escritor

Como pensar criativamente na era da intencionalidade



Você já deve ter escutado que a atenção das pessoas está diminuindo e que elas estão cansadas de tanto conteúdo disponível nas redes. Ao mesmo tempo, os dados indicam que o consumo de vídeos nunca foi tão alto: em 2020, o tempo de visualizações dobrou e chegou a uma média diária de 6 horas e 59 minutos.

Essas informações podem parecer conflitantes, mas, na verdade, elas nos mostram que é preciso olhar para os conteúdos de outra maneira. O que explica, por exemplo, as milhões de visualizações em vídeos de corridas de bolinhas de gude que chegam a durar horas? Ou o interesse dos jovens da Geração Z por lives da natureza? A realidade é que não estamos deixando de prestar atenção e muito menos de consumir conteúdos longos, e sim que nosso foco está cada vez mais seletivo. Um comportamento que foi impulsionado pela pandemia e se consolidou mesmo após o fim do isolamento.

Como criar anúncios mais relevantes?

Já ouviu falar em conteúdos de sofá e de celular? Os de sofá são vídeos que escolhemos assistir e ter uma experiência mais imersiva, aqueles que escolhemos maratonar. Já o conteúdo de celular — e aposto que você já fez isso bastante — pode ser consumido de forma mais distraída, ao mesmo tempo que mexemos no aparelho. Quem define a importância de cada um é o espectador.

1. Defina a intenção da marca

Essa é uma etapa após o briefing do cliente, quando já existe uma definição do objetivo de marketing. Aqui a ideia é explorar, dentro da meta proposta, o que a marca pode entregar ou sugerir como interação para a audiência.

É importante entender em que momento da jornada de compra está seu público-alvo, a relação dele com a marca ou categoria e, a partir disso, decidir como atuar.

2. Descubra a intenção da audiência

Ao pular da dimensão de intenção da marca para a intenção da audiência, é preciso ver o consumidor além de um comprador em uma jornada: trata-se de alguém que ama diversos temas e está com sua intenção voltada para eles. Busque estabelecer uma tensão entre a intenção da marca e a intenção da audiência — daí sairão boas ideias.

3. Investigue a sua intenção criativa

Como seu anúncio quer que as pessoas se sintam? A intenção criativa é a bússola que aponta para onde se deseja chegar com uma ideia. Vale pensar assim: se tudo der certo, o que minha ideia vai provocar? Que tipo de comentário gostaria que as pessoas fizessem quando vissem meu anúncio?


Fonte: www.thinkwithgoogle.com

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page